• Carol Ribeiro

Livro: Doce perdão

Atualizado: 17 de Mai de 2019

É um romance sobre perspectivas, escolhas e consequências, que retrata as fraquezas humanas; é sobre ter coragem para perdoar e, principalmente, para pedir perdão


FICHA TÉCNICA

DOCE PERDÃO Autor: Lori Nelson Spielman Editora: Verus Páginas: 322

Ano de publicação: 2015

Nota no Skoob: 4,1


CONTEXTO

Hannah Farr é jovem, bonita e bem sucedida. Apresentadora de TV em um programa diário, com o qual cativou uma legião de fãs, namora o prefeito da cidade e sua vida não poderia ser melhor - aparentemente.

O assunto do momento são as Pedra do Perdão. Tudo começou com Fiona Knowles que, sofrendo com peso de consciência, escolheu algumas pessoas do passado às quais ofendeu, maltratou ou prejudicou de alguma forma e enviou um par de pedras a cada uma. Caso a pessoa decida perdoá-la, deve devolver uma das pedras como símbolo deste perdão. Se quiser continuar com a corrente, basta enviar um novo par de pedras a alguém que tenha prejudicado e deseje pedir perdão também.

Quando Hannah recebe um par de pedras, sua vida vira de ponta cabeça. Em meio a tantos outros acontecimentos da sua vida pessoal e profissional, ela se vê às voltas com seu passado - que vão impactar diretamente no presente. A vida que parecia tão perfeita começa a mudar drasticamente. Seu emprego, seu namoro, suas lembranças de infância: tudo passa a ser afetado por essas pequeninas pedras.

MINHAS IMPRESSÕES

Sabe aquele tipo de leitura leve, gostosa que a gente se pega uma hora torcendo pelo personagem e outra hora querendo estrangular a mesma pessoa: assim é Doce Perdão.


Me peguei engasgada umas duas  ou três vezes, emocionada com certos trechos mais fortes. A história nos convida a uma análise: sobre quais feridas precisam ou merecem ser abertas e quais devem permanecer no passado - sob o risco de trazer apenas dor e sofrimento, sem nenhum ganho positivo ou significativo.

Com uma história envolvente, personagens humanos e uma mensagem forte, o livro destaca algo em que eu acredito, que toda história possui, no mínimo, 3 versões: a versão de um envolvido, a versão do outro envolvido e a verdadeira!

Apesar de ter uma pitada de romance clichê, apresenta alguns elementos surpresa que tornam o enredo mais interessante e nos convidam à reflexão em diversos momentos. A leitura é leve, apesar de abordar alguns temas fortes. Marcante, emocionante e realmente doce: um livro que merece ser lido!


15 visualizações