• Carol Combina

Resenha: A virtude da raiva

Já deu pra notar que ando numa fase de leituras edificantes, auto-ajuda e metafóricas, né! Estou amando essa fase e tenho aprendido muito com todos os livros. A resenha de hoje fala sobre um tema tão comum e tão mal compreendido: A RAIVA.


A VIRTUDE DA RAIVA

Autor: Arun Gandhi

Editora: Sextante

Páginas: 176

Ano de publicação: 2018

Nota no Skoob: 4,4

CONTEXTO


O livro narra o período em que Arun, morou com seu avô Mahatma Gandhi e todas as lições que aprendeu durante o convívio.


Gandhi ensinou valiosas lições ao neto Arun, utilizando exemplos simples do cotidiado para tratar temas universais como formação da identidade, gerenciamento da raiva, depressão, solidão, amizade e família.


Todos os aspectos importantes da vida ganham a luz dos ensinamentos do maior líder pacifista de nosso tempo ao lado da leveza do olhar de um jovem.


Em A virtude da raiva, Arun Gandhi nos mostra como a compreensão e a luta pela justiça são a resposta tanto na hora de lidar com questões que parecem prosaicas e cotidianas, quanto frente aos principais problemas que assolam a política mundial.


Este é um livro poderoso e profundo, com maravilhosos insights sobre como lidar com nossos maiores conflitos e viver com integridade e paz interior.


“Não precisamos ter vergonha da raiva. Ela é algo muito bonito e poderoso que nos leva a agir. Temos que nos envergonhar é de exagerarmos a dose.” – Mahatma Gandhi

MINHAS IMPRESSÕES


Essa leitura nos ensina a criar um novo conceito da RAIVA. Ela não deve ser sufocada ou ignorada, mas sim absorvida com a devida atenção, interpretada e convertida em força e energia para transformarmos aquilo que nos incomoda em algo positivo.


Quando você fica com raiva de algo, precisa entender esse sentimento: o que o provoca e o que você pode fazer para lidar com isso.


No mundo que vivemos, toda mensagem de amor, paciência e tolerância é bem vinda.


Recomendo está leitura por tantos motivos quanto posso conseguir descrever. Ele tem uma linguagem simples e ensinamentos fantásticos.


Muito além de teorias soltas, eles fala sobre paciência, bondade, tolerância e paz através de várias histórias narradas pelo neto de Gandhi, vividas no tempo em que Arun morou com seu avô.


Diferentemente do que se pensa, Gandhi não foi perfeito, não foi sempre calmo e inabalável, não nasceu santo. Ele também errou, exagerou, pecou e aprendeu com cada experiência de vida, pois era receptivo e aberto a ouvir e respeitar o próximo.


Este livro se tornou um dos meus favoritos e pretendo reler daqui a algum tempo. Tenho certeza que me trará novas perspectivas. Amei.....