• Carol Ribeiro

Cerro Santa Lucia

Já falamos de muitos passeios na região central de Santiago no outro post, que você confere AQUI.


Este ficou separado porque ele merece um post inteirinho só pra ele. E também porque não recomendo fazer esse passeio com pressa. Então, vamos aos detalhes do Cerro Santa Lucia.


Fica bem próximo da estação do metrô com o mesmo nome: Santa Lucia. É frequentado, não só por turistas, mas por muitos moradores de Santiago que buscam descanso, natureza e sossego.


Apesar do caminho até o topo ser puxado, se fizer com calma e com algumas paradas, é tranquilo. A área verde fornece sombra e ar fresco para repor as energias. Existem muitos espaços com sombra, bancos e tem até lanchonete lá dentro. É um recanto da natureza no meio da cidade, um parque vertical maravilhoso.

Fonte: Encircle Photos

Em 1540, Pedro de Valdivia acampou seu exército em uma colina que os indígenas chamavam de Huelén. O conquistador espanhol a renomeou como Santa Lucia em homenagem ao dia da festa de Santa Lúcia. O vale abaixo da colina foi considerado adequado para a formação de uma cidade. Esta é a origem de Santiago, no Chile.


Em 1872 o Cerro (que já foi um Forte, palco de disputas por território) foi convertido em parque pelo então governador Benjamín Vicuña Mackenna. A partir de então, recebeu muitas melhorias e acréscimos de árvores, praças, fontes, capela e trilhas com pontos de observação.

Governador visita as obras no Cerro, em 1874. Fonte: Wikipédia

Possui área de 65.300m², tem 69 metros de altura e está a uma altitude de 629 metros acima do nível do mar. Já foi considerado um ponto de reconhecimento da cidade para os conquistadores. No começo do século 19 era a fortaleza das tropas leais ao rei da Espanha.


DICA: Vai na paz, vai com tempo. É muita história e também muita ladeira. Conhecer com pressa, não vai prestar. Então separa um tempo pra curtir esse lugar lindo!


Esta é a entrada próxima à estação de metrô Santa Lucia. Eu deixei pra tirar fotos da fonte na volta e levei ferro, porque saímos pelo outro lado do Cerro.


DICA: Nunca deixe para depois, a foto que você pode tirar agora!

Logo na entrada, à esquerda tem uma caverna onde funciona uma pequena feira com itens de decoração, artesanato regional e indígena.

Todas as construções, esculturas e detalhes são lindos, imponentes, coração chega derrete!!! Só de pensar que por ali já passaram figuras históricas e importantes, dá um frio na barriga porque a gente respira história em cada cantinho do Cerro.


Na entrada fica o Terraço Neptuno, adornado com uma fonte muito imponente. A tradição é jogar uma moeda e fazer um pedido. No segundo andar dessa praça fica o Setor de informações turísticas da Prefeitura, dali partem visitas guiadas em determinados dias e horários.


Terraza Neptuno - fonte inspirada na Fontana de Trevi, em Roma - Itália


A paisagem começa a mesclar natureza, cidade e a cordilheira. Por mais que se tente retratar a beleza que existe no contraste disso tudo em uma foto, é incrivelmente mais maravilhoso ao vivo (sem exagero). Lente nenhuma consegue captar a beleza disso. E ainda tem gente que me pergunta porque eu fiquei TÃO apaixonada por Santiago.

Depois de muita subida, chegamos ao ponto mais alto. Ufa, valeu a subida, valeu cada suspiro. Esse lugar precisa e merece ser visitado.


Lá de cima, você tem uma vista privilegiada da cidade e pode notar como ela é bem estruturada com ruas em ângulos quase perfeitos. Também tem uma ótima vista para a Cordilheira dos Andes e para o Cerro San Cristobal e o caminho de subida pelo Funicular.



A filmagem não ficou uma maravilha porque estava mega cheio e eu estava hiper cansada de tanto subir escadas íngremes, irregulares e estreitas. Isso é desculpa? Não... Mas foi o que deu pra fazer :)

Fonte: Dicas Chile

Outra curiosidade no Cerro é o Castillo Hidalgo, construído em 1816, por ordem do governador do Chile, para defesa da cidade. Em 1997 a construção passou por melhorias e se tornou um Centro de Eventos. Veja AQUI. Ou seja, turista não entra fácil, nos restar olhar com os olhos e lamber com a testa!


As laterais do Castelo Hidalgo são protegidas pela própria estrutura de pedras que dificulta qualquer tentativa de invasão.


Saímos por outro acesso, igualmente lindo e com tantas árvores e imagens que ficou impossível enquadrar tudo numa foto só.


Sugiro programar esse passeio para a parte da manhã, pois é cheio de escadas e tem muita subida até alcançar o ponto mais alto. Se você deixar para conhecer este lugar após algum outro passeio ou depois do almoço, pode achar meio puxado encarar tanta "ladeira acima".


Leve uma garrafinha de água, faça a subida com calma e aproveite a paisagem! O melhor de tudo? Não paga para entrar!

0 visualização