top of page
  • Foto do escritorCarol Combina

Camila, Camila: a história da música


Lançada em 1985, essa música é daqueles clássicos que a gente não esquece facilmente; mas você conhece a história por trás da música?


Camila, Camila foi o primeiro sucesso da banda Nenhum de Nós, quando a banda tinha apenas 6 meses de formação. Mas a história dessa música começa antes mesmo de existir a banda.

Todos os integrantes eram colegas de escola, no ensino fundamental. Lá eles conheceram uma menina (que não tinha esse nome), porém a história é real.


Anos depois, com a banda formada, em uma das reuniões de ensaio, os integrantes se lembraram dessa menina dos tempos de colégio, que vivia um relacionamento abusivo e começaram a compor sobre isso.


Então começou a nascer a música, que fala sobre uma adolescente de 17 anos que sofre violência emocional e física.

Apesar de todos os integrantes da banda serem homens e não estarem em seu lugar de fala, é possível perceber a empatia e vontade de tentar expressar o que a colega sentia. A letra da canção, se bem analisada, demonstra o desespero e o medo da vítima.


Camila, Camila é uma forte crítica social contra os maus tratos sofrido por mulheres; é uma denúncia sobre a violência contra as mulheres.


Agora que você já sabe um pouco sobre a história da música, vamos analisar a letra.

Depois da última noite de festa Chorando e esperando amanhecer, amanhecer As coisas aconteciam com alguma explicação Com alguma explicação

Thedy, compositor da letra, conta que ele e os outros membros da banda imaginavam a garota chegando em casa depois de uma festa com o namorado. Nessa festa, acontece alguma coisa (algum tipo de violência psicológica) e isso faz com que Camila deseje com todas as forças, o fim dessa noite.


Em relacionamentos abusivos, é comum o agressor manipular a vítima para fazê-la acreditar que as atitudes violentas, foram "provocadas" por um comportamento da vítima - sempre há uma explicação para cada insulto ou agressão.

Depois da última noite de chuva Chorando e esperando, amanhecer, amanhecer Às vezes peço à ele que vá embora Que vá embora

A repetição busca enfatizar que as noites de violência são um acontecimento comum. Muitos acham que a pessoa agredida é acomodada, imóvel; mas é mais fácil falar do que agir.

Eu que tenho medo até de suas mãos Mas o ódio cega e você não percebe Mas o ódio cega

Camila tem medo de cada gesto do companheiro, porque ela nunca sabe quando vai começar outra agressão, qualquer toque ou olhar pode significar o começo de mais um ataque; mas o homem está tão cego pelo ódio que sequer é capaz de perceber o medo.

Havia algo de insano Naqueles olhos, olhos insanos Os olhos que passavam o dia A me vigiar, a me vigiar

A pessoa que agride outra por meio de um relacionamento abusivo, possui um desequilíbrio tão grande, que cria situações para desencadear uma série de agressões ao parceiro(a). Estes olhos insanos, vigiam cada passo da pessoa, buscando motivos para iniciar a violência.


Acredito que, se você não conhecia a história dessa música, de hoje em diante, você nunca mais vai ouvir da mesma forma!

Todos os trechos da música são fortes e impactantes. Trazem uma mensagem, um alerta, nos fazem pensar sobre situações semelhantes e refletir sobre quantas mulheres passam por isso cotidianamente.

1.043 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page