quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Não to nem aí pra feed "organizado", eu quero é ser feliz!

Quando surgiram as primeiras redes sociais, a principal função era mostrar para as pessoas os nossos gostos, ideias e pensamentos. Me lembro do falecido Orkut que tinha comunidade para tudo que você imaginar. Só olhando as comunidades do usuário, era possível conhecer sua personalidade e pressupor se ela era CDF, lerda, divertida, romântica ou meio louca. Apesar de já existirem os perfis fake, a maioria das pessoas postava o que realmente pensava e acreditava; ninguém ligava muito se aquilo poderia prejudicar sua imagem.

Isso mudou - e mudou MUITO. Já faz um tempo que venho querendo falar disso e cada vez que entro no Instagram e vejo um feed muito organizado - milimetricamente combinando - isso me incomoda e logo penso: FALSOOO! Penso isso por um simples motivo: a vida real não segue uma cartela de cores, ela é cheia de nuances variadas - graças a Deus!

Eu acho normal querer registrar alguns momentos, adoro fotografia. Em tempos modernos seria ilógico pensar que a tecnologia só tem o lado ruim e até acho radical as pessoas desativarem as redes e simplesmente sumirem do mundo digital.

Gosto de marcar os amigos em post's, acho uma forma de dizer "lembrei de você". Acredito que acompanhar e curtir as fotos nos permite estar menos distante das pessoas que não podemos ver tanto quanto gostaríamos.

E para esse ponto quero ressaltar um detalhe importante: devemos tomar cuidado com isso e não deixar a amizade virtual nos tornar acomodados demais.

É preciso viver a vida de carne e osso, abraçar as pessoas, visitar os amigos e saber a hora de sair do virtual para o real.

Esse alerta veio de um dos meus melhores amigos (que são poucos), quando nos encontramos e não conseguimos lembrar qual a última vez que nos vimos pessoalmente. Moramos em cidades diferentes e eu sei tudo que se passa com ele: cada viagem, cada passo, alguns pensamentos e projetos, mas simplesmente ficamos um ano sem nos ver (pausa triste). Obrigada pelo toque, amigo! Vamos nos vigiar...
Voltando ao foco: considero que postar nas redes sociais ta OK! Compartilhar alguns acontecimentos pessoais, pode ser saudável, mas o que me espanta é a preocupação excessiva com a APARÊNCIA em detrimento da REALIDADE.

As pessoas querem parecer felizes o tempo todo, postando uma foto por dia em lugares e situações interessantes - às vezes a foto foi tirada há meses e ficou armazenada para o "momento perfeito", combinando com o feed, claro! Conheço pessoas que tiram milhares de fotos para serem usadas no futuro e nem sabem ao certo QUANDO! 

A sensação é que, cada dia mais, a vida serve para ser postada e não para ser vivida.

As pessoas não curtem o momento, preocupadas em registrar o fato para ser curtido em algum momento.

A prioridade de muitos é ter um feed lindo, organizado e com uma paleta de cores coerente. Cara, pouco me importa se meu feed está visualmente bonito, eu quero é ser feliz e autêntica!

Não vou ser hipócrita a ponto de dizer que tudo que está nas minhas redes representa a totalidade da minha vida. Claro que eu posto minhas melhores fotos e não as piores, não vou mostrar o meu bad hair day, por exemplo, mas também não me preocupo se a foto de hoje combina com a de ontem ou se preciso manter uma sincronia entre as postagens.

Eu tento me vigiar ao máximo para não perder o controle do que é saudável e para não deixar de viver, só para captar o clique perfeito, esquecendo de curtir o momento. É preciso saber dosar!

A regra de ouro é APRECIE COM MODERAÇÃO, sob pena de cair numa escravidão e quando você menos imaginar, está deixando de curtir as pessoas ao seu redor só porque precisa de uma foto que combine com a paleta de cores do seu feed.

Esse post faz parte da blogagem coletiva REOLHAR A VIDA, um  projeto da Elaine Gaspareto.

Atualizações do Instagram

Topo